Vírus da Gripe A é descartado em gestante que está internada no hospital de Três Passos – Rádio Alto Uruguai | FM 92,5 – FM 106,1
Contato Whatsapp:
Contato Whatsapp:
Clima

Humaitá-RS

Clima

São Martinho-RS

Clima

Três Passos-RS

Clima

Crissiumal-RS

Vírus da Gripe A é descartado em gestante que está internada no hospital de Três Passos

Exame oficial do Lacen foi encaminhado ao município de Três Passos nesta sexta-feira

16 de agosto de 2019
Gestante segue internada na UTI do hospital em Três Passos (Foto: Arquivo)

A suspeita de que uma gestante, internada na Unidade de Tratamento Intensivo – UTI do Hospital de Caridade de Três Passos (HCTP), tivesse contraído Gripe A, não se confirmou. O resultado dos exames encaminhados ao Laboratório Central do Estado – Lacen, não detectaram o vírus H1N1. As informações foram confirmadas à reportagem da Rádio Alto Uruguai, na tarde desta sexta-feira (16), pela Secretaria Municipal de Saúde e pela equipe do hospital.

A coleta e o encaminhamento do material da paciente haviam sido realizados esta semana. A gestante segue internada na UTI do hospital.

No início do mês, um idoso de 69 anos, morador de Três Passos, que não tinha histórico de comorbidades, acabou morrendo em função da Gripe A. O resultado laboratorial foi positivo para H1N1.

Pessoas que não estão imunizadas podem buscar vacinação nos postos de saúde de Três Passos

Apesar deste novo caso suspeito ter sido negativo, os profissionais de saúde do município alertam a população para que tome o máximo de cuidado preventivo.

Quem não está imunizado contra a gripe, ainda pode procurar os postos de saúde em Três Passos, pois há doses de vacina a disposição da comunidade, de acordo com a enfermeira Cássia Maya Charneski.

A gripe preocupa principalmente durante os períodos mais frios. A doença pode causar graves problemas. Por isso a vacinação é uma arma eficaz na proteção, já que previne contra os tipos graves do vírus influenza (A H1N1; A H3N2 e influenza B).

Especialistas afirmam que é mito acreditar que a vacinação provoca efeitos colaterais graves ou até mesmo transmite o vírus. Muito pelo contrário: ela previne contra os tipos mais graves da doença.

Os vírus inativos utilizados na produção não conseguem transmitir a doença para os pacientes. Eles auxiliam o corpo a produzir anticorpos necessários. A vacinação apenas pode deixar o local da aplicação um pouco dolorido ou provocar uma febre baixa. A dose tem efeito após 15 dias da aplicação.

Dois bebês estão entre as vítimas mais recentes de gripe no RS. Estado contabiliza 33 mortes pela doença

Em uma semana, o número de mortes por gripe A passou de 28 para 33 no Rio Grande do Sul. Entre as novas vítimas fatais estão dois bebês, um de três meses e outro de um ano. Os dados integram o mais recente boletim epidemiológico da Secretaria Estadual da Saúde (SES) divulgado nesta quarta-feira (14). Do total de mortes neste ano, 23 foram causadas pelo vírus H1N1, sete pelo H3N2, duas por Influenza B e uma por Influenza A.

Conforme a Vigilância em Saúde da SES, a criança de um ano, moradora de Passo Fundo, tinha histórico de asma e recebeu apenas uma dose da vacina contra a gripe. Por se tratar da primeira imunização, o Ministério da Saúde prevê a aplicação de duas doses, com intervalo de 30 dias entre elas. A criança foi diagnosticada com o vírus H1N1.O bebê de três meses, residente de Porto Alegre, estava fora da faixa etária de vacinação. Ele era prematuro e o exame laboratorial revelou o vírus Influenza A não subtipável.

Os outros três casos são de adultos, acima dos 60 anos, que não se vacinaram contra a gripe na campanha deste ano. Trata-se de uma mulher de 76 anos, moradora de Viamão, com histórico de pneumopatia e diagnosticada com H3N2. Um homem de 66 anos, de Porto Alegre, com doença pneumática e vítima do vírus H1N1. E um idoso de 69 anos, morador de Três Passos, que não tinha histórico de comorbidades. O resultado laboratorial foi positivo para H1N1.

Mesmo com a elevação, o número de mortes por gripe no Estado é menor do que o registrado em 2018. No mesmo período do ano passado, eram 82 vítimas fatais confirmadas e 541 casos notificados.

Fonte: Rádio Alto Uruguai

A melhor programaçãoonline

Selecione a rádio
Copyright 2018 ® - Todos os direitos reservados