Três Passos: Com retirada de lombadas eletrônicas, cruzamento na BR 468 volta a causar risco para condutores – Rádio Alto Uruguai | FM 92,5 – FM 106,1
Contato Whatsapp:
Contato Whatsapp:
Clima

Humaitá-RS

Clima

São Martinho-RS

Clima

Três Passos-RS

Clima

Crissiumal-RS

MANCHETES

Três Passos: Com retirada de lombadas eletrônicas, cruzamento na BR 468 volta a causar risco para condutores

Ouvinte encaminhou fotos de colisão na última semana e relata os riscos que voltaram a ocorrer, devido à alta velocidade no trecho

21 de maio de 2019
Ouvinte registrou acidente na última semana, apenas com danos materiais. Mas alta velocidade no trecho faz com que os riscos novamente sejam altos (Foto: Ouvinte/Rádio Alto Uruguai)

Um trecho de muito risco para condutores volta a ter uma atenção especial. Trata-se do cruzamento da BR 468, em Três Passos, na saída do Bairro Erico Verissimo, proximidades do seminário São Pascoal.

O local contabilizava diversos acidentes ao longo de décadas, mas, desde 2013, quando foram instaladas duas lombadas eletrônicas (nos dois sentidos da rodovia), o número de ocorrências graves praticamente zerou.

Porém, desde fevereiro deste ano, quando os controladores de velocidade foram desativados e retirados da BR 468 (estrada de cerca de 150 quilômetros, entre Palmeira das Missões e Tiradentes do Sul), a comunidade volta a conviver com o alto risco de acidentes. E algumas ocorrências já foram registradas neste ponto.

Na última semana, um ouvinte que reside nas proximidades do entroncamento, encaminhou fotos de uma colisão entre caminhão e um automóvel, que gerou apenas danos materiais, mas que acende o alerta para a volta dos riscos naquele trecho. “Sem as lombadas, os carros abusam da velocidade nos dois sentidos”, relata o ouvinte. O limite de velocidade na rodovia é de 80 km/h. Com as lombadas, neste cruzamento o limite reduzia para 50 km/h. Sem os controladores, os motoristas avançam consideravelmente na velocidade.

A Câmara de Vereadores de Três Passos, que esteve a frente na busca pela implantação das lombadas eletrônicas, entre 2013 e 2014, novamente está empreendendo esforços para buscar explicações por parte do DNIT, órgão responsável pelas rodovias federais, sobre o novo planejamento para instalação de equipamentos. Um ofício foi encaminhado em abril, buscando informações quanto à reinstalação das lombadas, mas ainda não foi respondido. Dessa maneira, o legislativo busca agendar uma audiência com representantes da autarquia, a fim de reivindicar que este trecho da BR 468 não pode ficar sem os controladores de velocidade.

Outro trecho que teve retirada as lombadas eletrônicas, além dos pardais, foi em Esquina Boa Vista, em Campo Novo. Dois pardais haviam sido instalados em 2016, no trevo de acesso a São Martinho (entroncamento com a ERS 210), reduzindo consideravelmente as ocorrências naquele trecho. Outras duas lombadas eletrônicas também foram desativadas, próximas ao trevo de acesso a Coronel Bicaco e Palmeira das Missões (entroncamento com a ERS 155). Desde que haviam sido instaladas, praticamente zeraram as ocorrências no trecho, que eram altas.

Novo contrato diminuiu número de pontos e rodovias com redutores de velocidade

O contrato de aluguel dos controladores de velocidade, renovado quatro vezes e que vigorava desde 2010, chegou ao fim no mês de janeiro de 2019 e não foi reativado pelo DNIT. Desde então, as infrações cometidas no trecho de responsabilidade da autarquia só recebem fiscalização feita pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) e seus equipamentos de controle.

Em fevereiro deste ano, ao menos 166 novos pardais e lombadas eletrônicas em rodovias federais no território gaúcho já contavam com locais consolidados. Os aparelhos fazem parte da licitação concluída há um ano e que prevê total de 270 equipamentos. O DNIT informou ao site GaúchaZH, em fevereiro, que 166 “estão em processo de instalação”, mas não deu detalhes sobre os motivos de atraso na conclusão do trabalho – a previsão era de que todos estivessem instalados até abril de 2018. Apenas treze estradas estão recebendo novos controladores.

Parte será instalada no local dos antigos equipamentos. Alguns serão colocados no mesmo ponto, fiscalizando lados opostos de circulação. A BR-116 terá a maior quantidade: serão 33 controladores em trecho de 200 quilômetros entre Vacaria e Picada Café, na Serra.

A BR-285 vem logo em seguida, com 31 aparelhos nos 425 quilômetros de Bom Jesus, na Serra, até Entre-Ijuís, na região das Missões.

A relação inclui pardais na BR-386, em Estrela, e na Rodovia do Parque (BR-448), na Capital. O Dnit já informou que os aparelhos nessas vias ficarão sob responsabilidade da CCR Via Sul. A concessionária terá prazo de um ano a partir de sexta-feira para fazer as instalações. A empresa disse que irá consultar a Polícia Rodoviária Federal para definir os locais.

A BR 468, estrada com cerca de 150 quilômetros, que fica entre Palmeira das Missões e Tiradentes do Sul, ligando à fronteira com a Argentina, não consta no levantamento do DNIT.

Rodovias que têm locais consolidados para instalação de controladores de velocidade (em alguns de seus trechos):
BRs: 287 / 285 / 153 / 116 / 470 / 158 / 472 / 290 / 392 / 386 / 293 / 392 / 448

 

Lombadas eletrônicas começaram a funcionar em maio de 2013. De lá para cá reduziram consideravelmente as ocorrências no cruzamento da BR 468, em Três Passos, na saída do bairro Erico Verissimo:

Fonte: Rádio Alto Uruguai

A melhor programaçãoonline

Selecione a rádio
Copyright 2018 ® - Todos os direitos reservados