Contato Whatsapp:
Contato Whatsapp:
Clima

Humaitá-RS

Clima

São Martinho-RS

Clima

Três Passos-RS

Clima

Crissiumal-RS

Identificadas as quatro vítimas do incêndio em aldeia no interior de Ronda Alta

Quatro índios Kaingangues morreram carbonizados no início da madrugada desta quarta-feira

22 de abril de 2021
Incêndio ocorreu no início da madrugada de quarta-feira (Foto: Rogério Machado / Divulgação / Correio do Povo)

Foram identificados os quatro índios Kaingangues que morreram carbonizados em um incêndio, na madrugada de quarta-feira, no interior do município de Ronda Alta. São eles: Josué Gabriel Silveira, de 23 anos; Suzana Mariano, de 24; Esmael Batista, de 25, e Edilson Kesig Paula, de 21 anos.

O fogo teve início à 1 hora da madrugada, na localidade de Alto Recreio, na Reserva da Serrinha, e foi controlado pelos moradores próximos. Várias guarnições da Brigada Militar, Samu, ambulâncias dos municípios da região, caminhão pipa da Prefeitura de Ronda Alta e bombeiros se deslocaram até o local para atender a ocorrência. Os corpos foram encaminhados ao IML no início da manhã de quarta.

As primeiras diligências apontam que seis pessoas participavam de uma festa em uma residência e as lideranças indígenas foram comunicadas de que estava acontecendo algazarra. Eles foram até o local e prenderam os “infratores”, que foram presos e deixados no interior da cadeia.

A cadeira é uma estrutura utilizada na comunidade indígena para penalizar moradores da aldeia que cometeram alguma infração no interior da reserva. As normas seguem um Estatuto de Disciplina dos próprios índios.

O delegado de Polícia de Sarandi, Leandro Antunes, que responde pela jurisdição de Ronda Alta, informou que o caso já está sendo apurado. Ele disse que estão sendo ouvidos o cacique da reserva e várias outras pessoas. Segundo Antunes, o Estatuto do Índio permite que ocorram punições próprias no interior das aldeias, mas que não podem ultrapassar os limites da ética e que todos os direitos sejam assegurados.

De acordo com o cacique Marciano Claudino, os índios infratores normalmente são presos e no dia seguinte soltos. “Infelizmente aconteceu esse fato horrível aqui na nossa comunidade”, disse. Claudino afirmou que 99% dos problemas envolvendo pessoas da comunidade indígena são solucionados com a intervenção das lideranças da aldeia. “Nossa aldeia que possui três mil índios, numa área de 12 mil hectares é referência no Rio Grande do Sul em termos de organização e tranquilidade”, observou.

A reserva da Serrinha está localizada em territórios dos municípios de Ronda Alta, Constantina, Três Palmeiras e Engenho Velho. Na área vivem índios caingangues e guaranis.

O Instituto Geral de Perícias (IGP) informou que um perito criminal realizou atendimento no local das mortes. O laudo com as causas do sinistro deve ser concluído em 30 dias.

Fonte: Correio do Povo

A melhor programaçãoonline

Selecione a rádio
Copyright 2021 ® - Todos os direitos reservados