Contato Whatsapp:
Contato Whatsapp:
Clima

Humaitá-RS

Clima

São Martinho-RS

Clima

Três Passos-RS

Clima

Crissiumal-RS

Hospital de Caridade apresenta quadro financeiro e administrativo

3 de abril de 2018

Representantes do Hospital de Caridade de Três Passos participaram de entrevista à Rádio 92 FM, esta semana, apresentando informações importantes, que possibilitam à comunidade ter uma noção mais exata do atual quadro financeiro e administrativo da entidade hospitalar, que possui importância regional.

 

A vice-presidente da Associação Hospital de Caridade, Lélia Müller, o integrante do Conselho Fiscal, Marcos Bohn, e a funcionária, Juliane Perdonsini, estiveram no estúdio da 92 FM.

 

A seguir, uma síntese, com as principais informações repassadas:

 

Melhorias na infraestrutura
A atual diretoria, que assumiu o hospital em janeiro, já nos primeiros dias do ano enfrentou uma dificuldade, pois o hospital corria o risco de perder a alta complexidade, após apontamentos da Vigilância Sanitária, em função de infiltração em quartos, gerando mofo, com risco de surgimento de bactérias, necessitando reforma em alguns leitos e espaços do prédio.

 

Foi arrecadado junto à comunidade, aproximadamente R$ 33 mil, além de doações de tinta. Foram reformados 13 leitos, além de outros espaços físicos do prédio, como a antessala da UTI. Outros R$ 13 mil foram investidos para o revestimento externo, também a partir de doações da comunidade.

 

Através de doação da ASTRECRIS, foi possível a aquisição de móveis para a recepção e quatro computadores.

 

Também foram executadas obras de infraestrutura para esgotamento sanitário. Porém, pela legislação, o hospital terá até janeiro para iniciar a construção de uma usina de tratamento de esgoto, que custa entre R$ 150 mil e R$ 180 mil.

 

Ainda este ano, com a realização de um pedágio solidário, no centro da cidade, a instituição arrecadou cerca de R$ 14 mil, onde uma parte foi investida para construção de armários para o almoxarifado.

 

Recursos
O hospital recebe do governo estadual R$ 1,180 milhão. Deste montante, R$ 150 mil já são debitados automaticamente para uma instituição financeira, em função de empréstimo contraído, sobrando cerca de R$ 900 mil.

 

A folha de pagamento dos 285 funcionários, atualmente, está em cerca de R$ 480 mil por mês. Soma-se a isso, a folha de pagamento dos profissionais médicos, que varia de R$ 500 mil a R$ 540 mil mensais.

 

Com relação aos repasses oriundos do governo estadual, 70% do mês de setembro foi repassado ao hospital, dando conta dos custos de produção. Dos meses de agosto e setembro resta o pagamento do valor dos incentivos, o que totaliza R$ 368 mil.

 

Repasses financeiros de municípios e outros convênios
O hospital conta mensalmente com repasses dos municípios da região conveniados: o município de Três Passos repassa R$ 97.288,00; o município de Esperança do Sul, outros R$ 17.300,00; o município de Bom Progresso repassa R$ 13.979,00; e o município de Sede Nova, com repasse mensal de R$ 17.300,00.

 

Destes R$ 166.867,00 de recursos oriundos das prefeituras, é descontado o valor de R$ 47 mil que o hospital repassa à Clínica Carrossel (que realiza o atendimento a crianças e adolescentes), restando à casa de saúde o montante de R$ 119.068,00.

 

Existem ainda os valores arrecadados em função de internações particulares, que variam de mês a mês. São repassados ainda outros R$ 80 mil do IPE e de R$ 120 mil a R$ 140 mil, da Unimed.

 

Despesas precisam ser ajustadas
O hospital destaca o alto custo para manutenção da UTI, que possui 10 leitos, além do bloco cirúrgico, com operações de alta complexidade, atendendo diversos municípios.

 

O hospital está buscando ajustar alguns gastos mensais, como as despesas com a cozinha, que já baixaram de R$ 19 mil para R$ 14 mil mensais, nos últimos 12 meses, a partir de doações da comunidade, garantindo a mesma quantidade de alimentos, mas reduzindo os custos de aquisição do hospital.

 

Outros R$ 30 mil são gastos com a compra de oxigênio, mensalmente. Também são investidos R$ 100 mil para aquisição de medicamentos. Outros R$ 10 mil são utilizados para compra de material utilizado na lavanderia.

 

Os custos de energia elétrica giram em torno de R$ 25 mil mensais. Entretanto, o hospital tem uma dívida histórica com a RGE, que totaliza R$ 1,183 milhão. A respeito desse passivo, a diretoria está buscando uma renegociação.

 

Os gastos com água somam, em média, aproximadamente R$ 7 mil.

 

O pagamento de fornecedores ainda é um problema, pois muitas empresas não receberam pelos serviços prestados.

 

Hoje, o hospital calcula a despesa fixa mensal, em cerca de R$ 1,7 milhão, tendo uma entrada de recursos de, no máximo, R$ 1,6 milhão, variando em função de atrasos em repasses, mas que gera um déficit a cada mês, já que não atinge o valor necessário para cobrir todas as despesas.

 

Busca por alternativas
Uma das ideias da atual diretoria do hospital é promover um seminário, reunindo funcionários, corpo clínico, associados e comunidade, para debater formas de se buscar recursos e ajustes nas contas internas.

 

Outro ponto destacado é a diminuição nas despesas com a administração do hospital, já que uma empresa contratada em 2016 acabou sendo desligada da casa de saúde nos últimos meses, com integrantes da diretoria trabalhando de forma voluntária neste último período, na administração da estrutura.

 

Nova administradora
A partir de janeiro, assumirá uma nova administradora, que já está recebendo dados e informações a respeito da situação administrativa e financeira do hospital. De acordo com a direção, a pessoa que será contratada possui bom currículo na área hospitalar e será fundamental para a superação de problemas.

 

A diretoria afirma que teve muito cuidado, após rescindir o contrato com a outra empresa que prestava serviço de administração, para analisar currículos e escolher uma pessoa com capacidade para essa função.

 

Atraso no pagamento de médicos e funcionários
Os profissionais médicos estão com quatro meses de vencimentos atrasados, relativos a 2016, além de outros quatro meses deste ano. Já os demais funcionários, tiveram a quitação da folha salarial do mês de agosto, restando um mês atrasado de recebimento, referente à folha de setembro.

 

Emendas parlamentares
A diretoria ainda relacionou os recursos que foram conquistados através de emendas parlamentares.

 

Um montante de R$ 250 mil, do deputado Darcísio Perondi, foi investido na aquisição de 22 camas automáticas, para a ala do SUS. Com a sobra será adquirido um novo aparelho de ultrassom.

 

Em 2018, o hospital deverá contar com recursos de custeio, para manutenção hospitalar. Uma das emendas, de R$ 100 mil, do deputado Marco Maia, será para compra de medicamentos.

 

Outra emenda aprovada, de R$ 394 mil, será utilizada para reformas no hospital, através de emenda destinada pelo deputado Perondi.

 

Outra emenda aprovada, do deputado Pompeo de Mattos, no valor de R$ 100 mil, será utilizada para aquisição de equipamentos para cozinha e setor de saúde mental.

 

Ainda são aguardados os recursos de R$ 200 mil, através de emenda do deputado Bohn Gass, para aquisição de equipamentos como monitor, bomba de infusão, computadores, entre outros.

 

Uma outra emenda de R$ 250 mil, do deputado Perondi, possibilitará a aquisição de aparelho anestésico, raio-x portátil e monitor multiuso. E uma emenda de 2011, também do deputado Perondi, foi recuperada, e poderá ser usada para aquisição de um aparelho de hemodiálise para a UTI, além de ventiladores pulmonares.

 

Atendimentos eletivos não estão sendo realizados
Os atendimentos eletivos do hospital de Caridade não estão acontecendo há cerca de 14 dias. Os procedimentos eletivos são aqueles que não podem ser considerados como urgência ou emergência, incluindo as cirurgias eletivas e as consultas pré-agendadas.

 

As urgências e emergências são aqueles casos em que o paciente corre risco de morte ou esteja acidentado, entre outros tipos de adversidades.

 

Essa paralisação está acontecendo devido a uma decisão dos profissionais médicos, em função do atraso e não pagamento de quatro meses de vencimentos relativos a 2016, além de outros quatro meses de 2017.

 

O serviço de plantão também está disponível no hospital, mas apenas para urgências e emergências.

 

A orientação à população é que, durante o dia, procure os postos de saúde do município.

 

Triagem para atendimento de pacientes
O pronto-socorro do hospital possui uma triagem dos pacientes que procuram atendimento. Antes de ser encaminhado ao profissional médico, é realizada a triagem por parte da equipe de enfermagem.

 

A triagem é realizada de acordo com o diagnóstico clínico. Aqueles que estão com sintomas de maior gravidade, são atendidos com prioridade, antes dos demais.

 

Repasse da administração municipal de Três Passos
Quanto à expectativa de um repasse por parte da administração municipal de Três Passos, no valor de R$ 600 mil, que teria sido prometido no início do ano, Marcos Bohn afirmou que algumas pendências estão impedindo a efetivação, principalmente no que diz respeito à Lei de Responsabilidade Fiscal.

 

Câmara de Vereadores aprova criação de comissão especial
A Câmara de Vereadores de Três Passos aprovou na sessão de segunda-feira (23) a criação de uma Comissão Especial, que estará debatendo a situação administrativa e financeira do Hospital de Caridade.

 

A intenção do poder legislativo é dialogar com diversos atores públicos e privados, que possuem relação com a área da saúde e com a rede hospitalar: diretoria do hospital, administração municipal, conselho municipal de saúde, 19ª Coordenadoria Regional de Saúde (CRS), sindicato dos funcionários do hospital, corpo clínico, Unimed, IPE, Ministério Público, SAMU, entre outros.

 

Aporte financeiro para 2018
Outra ideia da Câmara de Vereadores, a partir de contato com a administração municipal, é viabilizar um aporte, em 2018, através de Orçamento Impositivo, aprovado este ano pelo legislativo, e que poderá possibilitar um recurso que pode ser muito significativo para a sobrevivência do hospital.

 

Falta de plantão no feriado do Dia das Crianças
O hospital teve falta de médico plantonista entre os dias 11 e 12 de outubro, e também não conseguiu realizar partos no final de semana dos dias 14 e 15 de outubro, fatos reconhecidos pela diretoria. Porém, de acordo com a própria direção, estes problemas pontuais já foram solucionados.

 

Outro paciente, que teve de ser transferido para Tenente Portela, naquela mesma semana, apenas foi encaminhado ao hospital da cidade vizinha em função de que o problema era vascular, e o hospital de referência para estes casos, de acordo com a 19ª CRS, é o Hospital Santo Antonio. “Inclusive o anestesista do Hospital de Caridade acompanhou o paciente até Tenente Portela, dando atenção ao caso”, afirmou Lélia Müller.

 

Doações ao hospital
De acordo com a direção do Hospital de Caridade, doações em dinheiro à instituição podem ser realizadas através de três contas bancárias:

 

Banrisul
Agência: 0945
Conta: 06.000666-09

Caixa Econômica Federal
Agência: 0520
Conta: 310-9

Banco do Brasil
Agência: 0457
Conta: 2811-8

 

Baile no mês de novembro buscará arrecadar mais recursos
No dia 14 de novembro, véspera de feriado, acontecerá em Padre Gonzáles o Baile da Cuca e da Linguiça, no Clube Ipiranga. O evento terá início às 20 horas, com a participação de duas bandas: Banda Inovação e Banda Knova.

 

Os convites estão sendo comercializados a R$ 50,00 por casal, ou R$ 25,00 individual. Toda a estrutura e mantimentos para realização do evento, foram conseguidos através de doações.

 

Os convites estão a venda nos seguintes locais: Lojas Bohn, Comercial Saracura, Clube Ipiranga, Hospital de Caridade e Müller Materiais de Construção.

 

Rádio Alto Uruguai

A melhor programaçãoonline

Selecione a rádio
Copyright 2020 ® - Todos os direitos reservados