Homenageado: Carlos Gerbase elogia envolvimento cultural de Três Passos com o cinema – Rádio Alto Uruguai | FM 92,5 – FM 106,1
Contato Whatsapp:
Contato Whatsapp:
Clima

Humaitá-RS

Clima

São Martinho-RS

Clima

Três Passos-RS

Clima

Crissiumal-RS

MANCHETES

Homenageado: Carlos Gerbase elogia envolvimento cultural de Três Passos com o cinema

Cineasta esteve na cidade nesta terça-feira, onde foi a personalidade homenageada pelo 4º Festival de Cinema de Três Passos

7 de novembro de 2018
Gerbase recebeu troféu e menção honrosa, como homenageado do festival deste ano em Três Passos

A capital cultural da região Celeiro recebeu um convidado especial nesta terça-feira, 6 de novembro. Um dos mais respeitados cineastas do Brasil, o porto-alegrense Carlos Gerbase, 59 anos, foi homenageado pela quarta edição do Festival de Cinema de Três Passos, abrindo a programação do evento, que segue até sábado. Além da homenagem, Gerbase também apresentou um painel, com o tema “Produção Audiovisual: desafios e protagonismo”.

Um pouco sobre a história de Gerbase

Cineasta, jornalista, músico, escritor e professor, Gerbase sintetiza uma vida intensa envolvida com a cultura. No set de filmagens, iniciou sua carreira no final da década de 1970 e tornou-se um dos nomes mais expressivos do cinema nacional. Realizou o longa-metragem “Inverno”, em super-8, premiado no Festival de Gramado.

Seguiram-se trabalhos em 35 mm, entre eles o longa “Verdes Anos”, lançado em 1984, do qual participou a atriz três-passense, Márcia do Canto. O curta- metragem “Deus Ex-Machina”, foi vencedor de onze prêmios em Gramado e de uma menção honrosa no Festival de Clermont-Ferrand, na França.

Escreveu e dirigiu os longas “Tolerância”, “Sal de Prata”, “3 Efes”, “Menos que Nada”, o documentário “1983 – O Ano Azul”, curtas-metragens e séries de TV. O longa Bio, ficção no formato documentário, recebeu dois prêmios Kikito no 45º Festival de Gramado em 2017, um deles como melhor longa segundo o público e outro pela direção de atores.

Em 1987, fundou a Casa de Cinema de Porto Alegre, onde foi integrante por 24 anos. Como jornalista, atuou como repórter e subeditor do jornal Folha da Tarde da Companhia Jornalística Caldas Jr. Colaborou com o jornal Tchê, com a revista Wonderfull, com os sites ZAZ e Terra.

Há cerca de cinco anos, mantém uma coluna em Zero Hora. É deste espaço de opinião que deriva seu livro mais recente, “Anarquia e utopia: faça uma todo dia”. O livro mostra personagens reais que parecem criações literárias e séries dramáticas da TV norte-americana que lembram retratos do Brasil contemporâneo. Com estilo leve e grande capacidade de abordar temas cotidianos com ironia, faz de suas crônicas um passeio cultural pelo Brasil, discutindo diversos assuntos.

Também fez carreira na área da música, sendo um dos membros fundadores da banda de punk rock “Replicantes”, uma das mais importantes do cenário alternativo brasileiro. Durante 22 anos, ocupou os postos de baterista e depois vocalista.

Em 2013, participou do projeto “Primeiro Filme”, em que ministrou oficinas de capacitação para professores do ensino fundamental e médio, tendo como base seu livro didático “Primeiro filme: descobrindo, fazendo, pensando”. Esta obra, da maior importância para a iniciação à realização cinematográfica, chegou em Três Passos e substanciou ações do Projeto #Cidade Cinematográfica.

O vice-prefeito, Jorge Leandro Dickel, e Francieli de Quadros, em nome da comunidade três-passense e do Coletivo Festival de Cinema de Três Passos, procederam a entrega de Menção Honrosa e troféu ao homenageado.

Homenageado elogia festival e destaca importância do audiovisual para a educação

Em entrevista à Rádio 92 FM, Carlos Gerbase elogiou o grupo que coordena o Festival de Cinema de Três Passos e destacou sua alegria em receber esta homenagem, podendo conhecer o município e, especialmente, o Cine Globo, um dos raros cinemas de rua que ainda estão ativos no Brasil.

Durante o painel que apresentou, em que dialogou com o público que lotou o Cine Globo na noite desta terça-feira, Gerbase fez questão de destacar a importância que o trabalho audiovisual possui para o trabalho estudantil, estimulando novas capacidades interativas com os alunos. Para ele, este trabalho cultural deve ser priorizado pelas escolas e por outros ambientes sociais.

Citando experiências próprias, tanto como cineasta, como na atuação de professor, o homenageado buscou valorizar o trabalho de formação que vem sendo desencadeado em Três Passos, fundamental para a consolidação do projeto do festival e para o fortalecimento da cultura cinematográfica na região.

Após a sessão da mostra não competitiva, em que foram exibidos sete curtas-metragens produzidos em Três Passos, a partir do Projeto Cidade Cinematográfica, em que foram utilizados ensinamentos teóricos do próprio Gerbase, o cineasta teve a oportunidade de conversar com os realizadores, trocando experiências, fazendo observações e apresentando sugestões para que o trabalho audiovisual tenha um crescimento cada vez maior no município.

 

Ouça a entrevista que Carlos Gerbase concedeu ao repórter Vinicius Araujo, da Rádio 92 FM

 

Fonte: Rádio Alto Uruguai

A melhor programaçãoonline

Selecione a rádio
Copyright 2018 ® - Todos os direitos reservados