Contato Whatsapp:
Contato Whatsapp:
Clima

Humaitá-RS

Clima

São Martinho-RS

Clima

Três Passos-RS

Clima

Crissiumal-RS

Amuceleiro apresenta recurso e espera manter 12 municípios da região sob a bandeira laranja de distanciamento

Mudança da bandeira laranja para a bandeira vermelha, pode significar um maior grau de restrições a diversas atividades econômicas nos municípios

21 de junho de 2020
Municípios da Amuceleiro atingidos por uma possível mudança de bandeira, estão mobilizados (Foto: Rádio Alto Uruguai / Arquivo)

No final da tarde de sábado (20), o governo do Estado apresentou uma nova atualização do plano de distanciamento controlado. Uma das cinco regiões que tiveram piora nos indicadores de propagação da Covid-19 e da capacidade de atendimento do sistema de saúde, passando da bandeira laranja para a bandeira vermelha, é a regional de Palmeira das Missões, que abrange 12 municípios da região Celeiro: Barra do Guarita, Bom Progresso, Braga, Coronel Bicaco, Derrubadas, Esperança do Sul, Miraguaí, Redentora, Tenente Portela, Tiradentes do Sul, Três Passos e Vista Gaúcha.

Entretanto, a definição oficial da bandeira somente será divulgada pelo governo estadual, durante a tarde de segunda-feira, 22 de junho, passando a valer a partir de terça-feira, dia 23. Ou seja, em uma verificação neste início de semana, há possibilidade de que a região permaneça sob a bandeira laranja.

A bandeira vermelha determina um maior grau de restrição para o funcionamento de diversos setores. Por exemplo: o comércio de rua e em centros comerciais, é suspenso, e os estabelecimentos devem ficar fechados. O mesmo ocorre para o comércio de veículos.

Somente poderão operar estabelecimentos que comercializem itens essenciais, como medicamentos, produtos de higiene pessoal, alimentação e transporte. Mesmo assim, farmácias, supermercados e postos de gasolina têm operação reduzida a 50% dos trabalhadores.

Serviços de manutenção e reparação de veículos automotores passam a operar com apenas 25% dos trabalhadores.

Comércio atacadista de itens não essenciais deixa de atender na modalidade presencial. O teto de operação é reduzido a 25% dos trabalhadores, com atendimento exclusivo via tele-entrega, pegue e leve ou drive-thru.

A prestação de serviços também terá mais restrições, dependendo de cada setor.

Amuceleiro está mobilizada para reverter a troca de bandeira

Sabedores das dificuldades econômicas e sociais que novas restrições comerciais podem causar em seus municípios, os prefeitos destes 12 município impactados na região Celeiro estiveram mobilizados ao longo deste domingo, buscando reunir números e informações, para que um recurso fosse entregue ao governo estadual até o final da tarde, para que o Centro de Operações de Emergências da Saúde (COE-RS), avalie nesta segunda-feira, e reconsidere esta troca da cor da bandeira.

Em nota, divulgada no início da noite deste domingo (21), a AMUCELEIRO afirma que “após deliberação, entende que a elevação do nível de risco e o consequente impacto negativo nas atividades econômicas e sociais feito de forma regionalizada, agrupando as Regiões R15 e R20 em um mesmo setor, não levou em consideração as peculiaridades locais dos pequenos municípios da nossa região”.

Ainda segundo a entidade, “conforme análise de dados recolhidos junto aos municípios associados atingidos pela elevação da bandeira laranja para bandeira vermelha, a Amuceleiro acredita ter um conjunto probatório suficiente para que o COE receba e dê provimento ao recurso, para que os municípios associados atingidos pela mudança permaneçam classificados na bandeira laranja”.

O presidente da Amuceleiro e prefeito de Braga, Carlos Alberto Vigne, estará em Porto Alegre, nesta segunda-feira, acompanhando de perto a avaliação do governo estadual e a decisão que será anunciada durante a tarde.

Esta é a última rodada em que a divulgação das bandeiras está sendo feita no sábado. A partir da próxima, a coleta de dados será na quinta-feira e o anúncio do mapa preliminar ficará para sexta.

Com isso, as prefeituras tiveram até 24 horas para apresentar recurso. Os dados apresentados serão avaliados pelo Gabinete de Crise na segunda-feira e, à tarde, o governador divulgará as bandeiras definitivas, que passam a valer a partir de terça.

As razões apresentadas pelo plano estadual, para elevar o grau da bandeira, na região de Palmeira das Missões, são:

– O elevado aumento de hospitalizações confirmadas para Covid-19, registradas nos últimos sete dias, fez com que bandeira amarela do indicador passasse para bandeira preta (as hospitalizações foram de seis para 16).

– Apesar de os indicadores de internados em UTI por Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) e por Covid-19, da macrorregião Norte, terem demonstrado redução das bandeiras entre as duas semanas, o indicador de número de pacientes Covid-19 (confirmados) em leitos clínicos aumento de 32 para 55, na macrorregião.

– Com relação aos três indicadores do Estágio da Evolução e da Incidência de Novos Casos sobre a População, que são mensurados com base na região, apresentaram situação de bandeira vermelha ou preta, mantendo a sinalização de agravo já apresentada na semana anterior. O aumento do número de casos ativos na última semana foi significativo, passando de 76 para 122 casos. Com respeito às hospitalizações confirmadas para Covid-19 registradas nos últimos sete dias por 100 mil habitantes, o indicador passou de 1,66 para 4,43.

– Apesar de o indicador de leitos de UTI livres em relação aos leitos de UTI ocupados por pacientes Covid-19 e do total de número de leitos de UTI livres no último dia terem melhorado na macrorregião norte, o efeito não foi suficiente para manter a situação de bandeira laranja na região de Palmeira das Missões.

Abaixo, a íntegra da nota divulgada pela Amuceleiro, neste domingo:

NOTA OFICIAL DA AMUCELEIRO SOBRE A ELEVAÇÃO DA BANDEIRA DO PROGRAMA DE DISTANCIAMENTO CONTROLADO DO RIO GRANDE DO SUL NOS MUNICÍPIOS ASSOCIADOS

A AMUCELEIRO – Associação dos Municípios da Região Celeiro do Rio Grande do Sul, na qualidade de representante dos interesses dos municípios associados recebe em tom de discordância as alterações promovidas pelo Governo do Estado do Rio Grande do Sul, quando do anúncio da nova classificação de 12 municípios da Região Celeiro, os elevando à Bandeira Vermelha do Programa de Distanciamento Controlado.

A AMUCELEIRO, após deliberação, entende que a elevação do nível de risco e o consequente impacto negativo nas atividades econômicas e sociais feito de forma regionalizada, agrupando as Regiões R15 e R20 em um mesmo setor, não levou em consideração as peculiaridades locais dos pequenos municípios da nossa região.

Tendo em vista a discordância com a alteração do nível de risco dos municípios de Barra do Guarita, Bom Progresso, Braga, Coronel Bicaco, Derrubadas, Esperança do Sul, Miraguaí, Redentora, Tenente Portela, Tiradentes do Sul, Três Passos e Vista Gaúcha, a AMUCELEIRO informa à comunidade regional que apresentou, neste domingo, 21 de junho, recurso junto ao Centro de Operações de Emergências da Saúde (COE), setor responsável pela articulação das ações governamentais de acompanhamento e definição de estratégias de enfrentamento da pandemia.

Conforme análise de dados recolhidos junto aos municípios associados atingidos pela elevação da Bandeira Laranja para Bandeira Vermelha, a AMUCELEIRO acredita ter um conjunto probatório suficiente para que o COE receba e dê provimento ao recurso, para que os municípios associados atingidos pela mudança permaneçam classificados na Bandeira Laranja.

O Presidente da AMUCELEIRO, Prefeito de Braga, Carlos Alberto Vigne, em nome dos prefeitos da Região Celeiro reforça o compromisso de todos os municípios associados na preservação das vidas de seus munícipes, com duas grandezas a serem compatibilizadas: ações em saúde e a manutenção da sobrevivência das pessoas através do desempenho das atividades econômicas.

Três Passos, 21 de junho de 2020.

Carlos Alberto Vigne
Presidente

Fonte: Rádio Alto Uruguai

A melhor programaçãoonline

Selecione a rádio
Copyright 2020 ® - Todos os direitos reservados